X

O seu carrinho está vazio.

6 de Fevereiro de 2015

Teresa Margolles foi galardoada com o Prémio de Fotografia Latino-americana

Teresa Margolles foi galardoada com o Prémio de Fotografia Latino-americana Purificación García, outorgado na feira mexicana de Zona Maco.


A artista mexicana Teresa Margolles (Culiacán. México, 1963) obteve o Prémio de Fotografia Latino-americana Purificación García pela sua obra La esperanza, de 2014, que desta forma passa a integrar a Coleção de Fotografia Purificación Garcia.


O júri desta edição era constituído por Celia Sredni de Birbragher, diretora da revista Art Nexus e Rosana A. Agrelo, responsável pela Coleção de Fotografia Purificación García.

Teresa Margolles é uma das artistas mexicanas mais destacadas no panorama artístico da atualidade. Representou o México na Bienal de Veneza de 2009 e tem exposto os seus trabalhos em museus e instituições de grande prestígio a nível internacional.

Margolles utiliza a fotografia, a instalação, a performance e o vídeo para analisar a morte orgânica sob o ponto de vista artístico. Através da sua obra a artista explora a violência, a injustiça social, a repressão e o narcotráfico no México.


A imagem retratada em La Esperanza foi tirada por Margolles durante as suas investigações constantes aos estragos provocados pela guerra do narcotráfico em Ciudad Juárez, Chihuahua. Ao deparar-se com o local abandonado do que durante algum tempo foi um negócio familiar chamado Abarrotes La Esperanza, a artista começa a perguntar-se sobre o conceito da esperança (esperanza) em si mesmo.


Na mitologia grega quando Zeus entrega aos homens a Caixa de Pandora, a última coisa que eles encontram é a esperança e daí provém a ideia de que “a esperança é a última a morrer”. Por outro lado o filósofo alemão Friedrich Nietzche afirmava que “a esperança é o pior dos males, pois prolonga os tormentos do homem”.


Imaginamos que quando a família tomou a decisão de chamar Abarrotes La Esperanza ao seu pequeno negócio não pensou nesse conceito como algo residual, mas pelo contrário tinha em mente um futuro esperançado. Será que em algum momento se perguntaram sobre o que poderia acontecer à sua volta? Atualmente, quando nos media Juárez não é a cidade mais violenta do México, porque a atenção está voltada para Guerrero, existe ali algum motivo para haver esperança?